maio

.: Sempre gostei do mês de maio. De todos os 12, o nome mais bonito, mais sonoro, você inspira o ar de leve, pronuncia esse farto encontro vocálico e pronto, falou. Essa palavra curtinha, cheia de letras redondas. Maio ainda tem a sorte de vir depois de abril, que é o nome mais ruidoso e capenga de todos. E vem antes de junho, que além de ser fanho, nada mais é do que uma cinzenta e modorrenta sala de espera para as férias de julho. Várias pessoas fundamentais nasceram em maio: minha mãe, meu marido, vários bons amigos, minha orientadora até. Então é o mês cheio de escolher presentes, fazer surpresas, escrever mensagens, marcar boteco, todas essas coisas às quais eu dedico tempo e entusiasmo. É um mês que passa rápido e agradavelmente, na maioria dos anos. Maio é imbatível no meu calendário.

Cepacol fazia aniversário em maio.  Em algum dia entre o dia 6 da Ísis e o 21 da Cecilia. Todo ano eu me lembro, e tal. Esse ano eu esqueci. Não apenas passou em branco na época, como ainda não consigo lembrar o dia exato. Talvez 8, talvez 18, ou 17. Fiquei dois dias cismando com o 13, depois o 16. O número não vem. Não que faça muita diferença, aqui onde a vida é prática e o luto discreto. Meu medo, porém, sempre foi esse: começar a esquecer até que um dia minha memória se apoie em um punhado de histórias ralas e aquela toada de saudade meio monótona. Quem se perdoa por esquecimento semelhante?

.: Minha caixa de cartas e fotos antigas não me deu a pista necessária, além de me fazer lembrar que eu perdi várias fotos recentes dele quando a placa mãe do computador queimou. Um desastre nessa liturgia pessoal minha. Então eu achei uma coisa, cuja história eu quero contar e por isso estamos aqui, você e eu:
Teve uma festa organizada pelos alunos veteranos da escola onde nos conhecemos. Para nós, os bixos, era a primeira festa e etc. Era uma festa brega. Eu e mais duas amigas, crendo no rigor do tema, fomos vestidas da pior maneira possível. Ninguém mais. Os primeiros minutos foram bem desconfortáveis, asseguro. Enfim, minha turma estava praticamente toda lá e acabou sendo bem legal. E o Cepacol tomou um porre e ficou passando mal do lado de fora. E por causa disso eu e mais uns amigos ficamos lá com ele, tirando sarro e fazendo-o comer alguma coisa doce. Um sorvete Frutilli de maçã verde, que alguém comprou num boteco próximo. O assunto na segunda-feira, claro, passou pelos nossos trajes ridículos e o porre dele. Ele ganhou fama de bêbado, mas abriu um pouco a guarda e se enturmou mais. Sei que muitas vezes eu o pilhava por ele ser tranqueira e ter dado trabalho naquela noite. Mas só pelo gosto de fazer graça, mesmo. Um dia ele me trouxe a tampa recortada da caixa do whisky que tinha tomado. Nela, escreveu um “te adoro”, assinou como “seu bêbado preferido” e fez um ps em inglês (em inglês porque me irritava): thanks to save my life.

.: Então. Foi esse pedaço de papel que eu achei no meio das minhas velharias. A data do bilhete: maio de 1998. Maio é imbatível no meu calendário.

Anúncios

12 Respostas

  1. Post não muito propício para o mês em que nos encontramos…

    Amei o seu blog. Mesmo. Se pudesse me dar umas indicações de bons livros eu agradeceria muito e acataria!

    • mas justamente. esse post só existe porque maio acabou antes de eu lembrar.

      ah, brigada :)

      (bons livros? difícil, eu não sei do que vc gosta…)

  2. ôoo Aline,
    também faço aniversário em maio, dia 27. E o mês passou que eu nem vi também. E Cepacol , lindo post que vc escreveu sobre ele, ainda me lembro.
    Bjk

    • Há, olha só! Essa regrinha não falha pra mim. Nunca conheci uma pessoa que tivesse nascido em maio que não fosse querida :)

      Ah, o Cepacol foi um amigo muito importante. Gosto de escrever sobre ele, de vez em quando, pra registrar mesmo. Meu jeito de homenagea-lo.

      um beijo, madoka

  3. Eu tenho um amigo que fez a mesma escolha do Cepacol.

    Até hoje eu me lembro dele na minha casa, irreverente, tirando uma com a cara de todo mundo – até do meu pai! E olha que o coroa era duro na queda, mas dava umas risadas com o Sandro.

    O nome dele era Sandro. E fazia aniversário em Novembro, 20.

  4. Oi, Aline. A Iara mandou, eu vim. E vou voltar. Tão bom, vontade de ficar lendo. Prazer!

    Meu filho nasceu em 05/05/05. Eu também gosto dele pra caramba. :o)

    Bjs,
    Rita

    • oi Rita

      bacana que vc gostou, seja bem vinda =)

  5. maio, amor, amar
    acho que são parentes…

    bjotas

    • hahaha que doçura =)

      beijos, querido

  6. Ô, saudade… de você, da festa brega, da Federal, do Cepacol.

    • ah, nem me fale. dele, então. nossa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s